1

O presente ou o futuro?

Posted by Hugo Alves on 05:28
Com o passar dos tempos tudo vai mudando, evoluindo. Em alguns aspectos percebemos mais pontos positivos do que outros, assim como os que possuem mais pontos negativos. Essas mudanças acarretam uma série de conseqüências, influenciando diretamente na vida de cada ser humano. De acordo com que a sociedade modifica seus conceitos o cidadão adota seu estilo de vida, pelo menos na teoria é assim que funciona.

Vivemos em um mundo de “correrias”, do dia-a-dia atarefado, da falta de tempo, da concorrência, do desemprego, da desigualdade social e da ambição. Existem os que vivem para trabalhar e os que trabalham para viver. Os que vivem o agora sem se preocuparem com o depois e os que vivem tão preocupados com o depois que se esquecem de viver. O que vale mais? O presente ou o futuro?




Os mais aventureiros dizem que o momento é mais importante, até porque são de momentos que se constrói a vida e a única certeza que temos é a de que “tudo o que é vivo morre”, logo, não teremos certeza se nosso “investimento” não será em vão. Já os mais metódicos optam pelo futuro, planejando e construindo ambientes mais propícios para que os momentos sejam melhores aproveitados bem como condições para que sejam provocados.

Acho que em determinado momentos da vida é viável se preocupar menos com o futuro, pois a expectativa de vida já não é das mais longas. Momentos em que o que tinha para fazer já foi feito e agora só nos resta colhermos o que plantamos. Mas isso é depois que plantarmos.

As pessoas tomam como o certo o que é conveniente no momento. Nada melhor do que tentarmos justificar algo que desejamos apenas porque é o que queremos. Algumas vezes ouvimos frases do tipo: “Ah, amanhã nem sei se estarei vivo...”. Sem duvida, viver sem a expectativa de que estaremos vivos no amanhã, é um argumento fraco para tornar certo algo baseado na conveniência. Quem nunca ouviu a frase: “Acorde arrependido, mas não durma com vontade”? Essa é de doer. Considero como a maior prova de inconseqüência que poderia ser detectada através de um diálogo com um individuo.

Contudo, não podemos viver com medo da dor. Claro, temos que aprender com os erros dos outros, mas também não podemos ter medo de errar, afinal de contas “errar” está na essência do ser humano. E geralmente, as experiências adquiridas com os erros é que nos fazem crescer. É sempre buscar novas sensações, afinal de contas não se trata de apenas existir e sim de viver. Se for algo que realmente valha a pena lutar e não medir esforços para conseguir, vá em frente.

Não devemos ser rebeldes ao ponto de viver o hoje como se o amanhã não houvesse possibilidades de se tornar real, porém, deixar de viver o presente apenas por se preocupar com o futuro não deixa de ser cruel.


Links para esta postagem

Copyright © 2009 Hugo Alves All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates